Por que estamos sempre apressados?

Tempo de leitura: 3 minutos

Ultimamente percebi que estou sempre correndo, apressado.

Pulo de uma tarefa para outra, almoço rápido, acelero o carro para chegar rápido no destino e fico ansioso para terminar um objetivo.

Mas porque eu faço isso?

Lendo e refletindo sobre isso, descobri que nossa mente parece ter uma tendência a ganância. A ganância não no sentido de que queremos mais riqueza material e sim de encontrarmos algo que gostamos e queremos mais. Sempre mais.

Alguns exemplos de ganância:

  • Estou fazendo uma tarefa e quero fazer mais 20 tarefas para fazer o máximo possível no espaço de tempo do dia, por exemplo.
  • Quando estou aprendendo sobre um assunto, quero aprender tudo sobre esse assunto. Procuro livros, leio um monte de blogs, artigos, podcasts,fóruns. Eu não consigo consumir todos conteúdos mas eu quero. Abro 10 páginas de navegador e leio um pedaço de cada post e não consigo ler todos até o fim.
  • Quando estou viajando, quero ver tudo da cidade que estou visitando. Os melhores pontos turísticos, melhores restaurantes, passeios e experiencias que a cidade oferece. Eu sei que não vou conseguir mas vou tentar fazer de tudo para que caiba no tempo da viagem.
  • Quando inicio meu dia, tento fazer o máximo de tarefas possíveis. Não só tarefas, mas lendo emails constantemente, verificando whatsapp diversas vezes ao dia, praticando esportes, consumindo conteúdos dos blogs mais e mais.

Eu me apresso tentando caber tudo num dia. Tento maximizar cada dia, cada evento, cada momento. Tudo isso buscando tirar o máximo de proveito da vida.

Não é ruim querer isso, é até de bom coração. É querermos mais, o melhor, é vislumbrar melhores condições, é aproveitar o espaço curto de tempo que temos de vida.

Mas qual é o resultado de sempre querer mais, sempre querer maximizar?

É a pressa, é nunca estar satisfeito, é nunca ter o bastante. É ansiar sempre por conquistas maiores.

Certa vez escutei uma entrevista do jogador de futebol Juninho, um colecionador de títulos responder a pergunta: O que você se arrepende na carreira profissional? Ele respondeu algo assim: Não ter curtido cada momento, cada vitória, ter saboreado cada lance, cada gol, cada título. Ganhava um título na sexta e na segunda já iniciava os trabalhos para conquistar o próximo.

A ganância pelo mais, não satisfaz. Criamos mais e queremos sempre mais. Entramos em loop.

Não tente fazer tudo, tente estar presente: aqui e agora. Não tente maximizar, tente praticar. Deixe de lado as tendências gananciosas, pare de correr e de tentar ter tudo, fazer tudo.

Quando estamos tendenciosos a prática da ganância, estamos contra a tendência da generosidade.

A prática da generosidade

O que a generosidade tem a ver com se apressar e tentar maximizar tudo todos os dias?

Generosidade é qualquer manifestação de afastamento da nossa visão egocêntrica. É prestarmos a atenção nos outros. Pode ser visto tão simplesmente como prestar a atenção em outra pessoa, o que ela está precisando. Ou apenas ouvir com atenção, estar realmente presente quando alguém fala com você (e não digitando enquanto a pessoa fala). É tentar entender o outro. Este é o espirito de generosidade.

Quando estamos sozinhos, podemos aplicar a generosidade dando plena atenção a cada momento, cada atividade, uma por vez. Este é um habito que quebra a tendencia do mais e mais, do querer me satisfazer sempre, do somente eu.

Estou tentando praticar o espírito de generosidade (e ainda estou engatinhando nisso), sempre que percebo minha mente querendo o máximo proveito de todos os dias. Ao invés disso, tento voltar para o momento presente, para cada pessoa que encontro, para cada atividade, e dou minha sincera atenção.

Lembrando que sempre que escrevo esses artigos aqui do blog, minha intenção é que eles sirvam de aprendizado tanto para mim quanto para quem lê os posts. Quando escrevo, reforço o que muitas vezes não consigo por em prática. O hábito de escrever tem contribuído para o meu aprendizado e aplicação dos conceitos.

1 comentário


  1. Artigo bacana Leo! Show de bola é verdade, e compartilho da mesma situação do que descreves no artigo!

    Parabéns pela iniciativa, afinal, pra andarmos 10 Km precisamos dar sempre o primeiro passo!

Comentários encerrados.